aperto de mão-responsabilidade social empresarial

Responsabilidade Social Empresarial – Realidades Sobre o Tema

Responsabilidade Social Empresarial – Muitas empresas ainda não estão conseguindo criar locais de trabalho diversificados e inclusivos (D&I). É hora de reconhecer que D&I é responsabilidade de todos.

As pessoas ainda têm muitos conceitos errados sobre o que realmente significa criar um local de trabalho diversificado e inclusivo.

Muitos empregadores têm a impressão de que diversidade e inclusão significam anunciar uma nova política de contratação de oportunidades iguais, talvez contratando algumas pessoas marginalizadas, usando cores LGBTQ no logotipo de sua empresa por uma semana … e é isso, e é onde termina. 

Ações inócuas

Eles acham que fizeram sua parte. Algumas empresas podem dar um passo adiante e contratar um Diretor de Diversidade e deixar que ele resolva os problemas sistêmicos de diversidade e acessibilidade no trabalho na sua organização, o que infelizmente costuma falhar.

Deixe-me ser claro: essas abordagens são, em última análise, gestos sem sentido, a menos que haja uma ação real e substantiva por trás deles. Isso significa realmente ouvir e implementar pontos de vista alternativos. 

Afinal, de que adianta trazer experiências e vozes diversas para uma sala apenas para ignorá-las? Os valores da sua empresa são apenas chavões postados em seu site como parte de sua marca? Ou são valores tangíveis, observáveis ​​e vividos que realmente afetam a forma como sua empresa é administrada? 

A verdadeira diversidade e inclusão no local de trabalho significa realmente capacitar pessoas marginalizadas dentro de sua organização.

E não é apenas função de RH. Depende de todos.

Responsabilidade social empresarial – Diversidade e inclusão são responsabilidade de todos

Ao contrário da opinião popular, D&I não começa e termina com a criação de um local de trabalho mais multicultural e multiétnico. 

Sim, a representação é uma etapa importante – a primeira etapa – mas, na verdade, é apenas parte de um processo contínuo que, a certa altura, está além do controle do RH. 

É quando o resto da organização precisa se preparar para criar um local de trabalho inclusivo.

Todos os funcionários estão sendo tratados com justiça? Eles têm acesso igual a oportunidades de crescimento na carreira? Estão tendo voz nas reuniões? Estão sendo envolvidos na tomada de decisões? Eles são capazes de contribuir, criar, colaborar e liderar?

Responsabilidade social empresarial… Mas se toda a organização não estiver empenhada em criar um local de trabalho inclusivo, a representação não importará. 

A inclusão deve ser apoiada e reforçada o tempo todo, em tantas situações diferentes e em vários níveis diferentes da organização.

Responsabilidade social empresarial – Por que diversidade e inclusão são importantes?

Alguns de vocês podem estar pensando: ‘Por que a diversidade e a inclusão são algo com que eu pessoalmente preciso me preocupar? 

Em primeiro lugar, lembre-se de que diversidade e inclusão não são meros objetivos a serem alcançados para que uma empresa possa dizer “olha, nossa empresa tem responsabilidade social, somos diversos e inclusivos”. Não é disso que se trata.

Em vez disso, pense no funcionário como um valioso catalisador para a inovação. D&I contribui para atrair, reter e estabelecer bases para uma melhor tomada de decisão, maior envolvimento, novas ideias e um impacto mais amplo em sua comunidade. 

As empresas podem atrair e reter funcionários com benefícios simples e ações humanizadas nas corporações.

Se sua organização só consegue pensar de uma maneira, boa sorte com isso. Por que não usar as origens, perspectivas e educação diversas de seu povo para traçar um novo curso ou experimentar uma ideia nova?

Então, o que você pode fazer pessoalmente para e garantir que as pessoas ao seu redor sintam que podem se expressar abertamente? 

É tudo uma questão de expandir sua autoconsciência e mitigar seu preconceito.

Viés atenuante

O primeiro passo para criar um local de trabalho mais inclusivo é perceber que todos nós, sim, todos nós, temos preconceitos conscientes e inconscientes sobre as pessoas ao nosso redor. 

Aliás, como fomos criados e educados, as lutas que enfrentamos e as pessoas que encontramos – tudo isso informa a maneira como vemos, interagimos e tratamos nossos colegas de trabalho.

Muitas vezes, um preconceito pode ser completamente desconhecido para você, até um dia quando se torna aparente: uma opinião sobre a qual você talvez nunca tenha pensado duas vezes, uma mudança perceptível no tom de sua voz, ou apressando-se na conclusão de que alguém é mais adequado para um posição devido à sua idade.

Mitigar isso no trabalho pode ser um desafio para muitas pessoas porque requer um nível de autoconsciência que nem todos nós possuímos ou uma resistência ao que alguns podem chamar de autocensura. 

Olhar interno

A questão é que não se trata realmente de censura. Em vez disso, trata-se de reconhecer e compreender por que você reagiu de determinada maneira ou fez um determinado julgamento.

Se seus preconceitos são prejudiciais ou não inclusivos, então você provavelmente precisará tomar medidas para levar em conta seu impacto no local de trabalho. 

Aqui está o que você pode fazer (existem livros inteiros escritos sobre este assunto, mas teremos que nos contentar com uma pequena lista):

  • Esteja ciente e evite usar generalizações . As generalizações são insidiosas porque tendemos a confiar nelas muito prontamente. Logo, eles se transformam em estereótipos que adotamos sem sequer pensar nisso. Preste muita atenção à maneira como você e seus colegas contam com generalizações e tente fazer uma mudança.
  • Desafie sua maneira de pensar . Muitas vezes ficamos presos no que gosto de chamar de modo padrão: essa tendência natural de pensar preguiçosamente ou sem críticas. Em vez de nos perguntarmos por que pensamos de certa maneira, simplesmente fazemos o que está acontecendo. Faça um esforço consciente para se questionar quando estiver no modo padrão.
  • Considere seu impacto . Sei que às vezes parece que não temos muito impacto sobre as pessoas ao nosso redor, mas não é realmente o caso. As coisas que você diz e faz, a maneira como você se comporta, tudo tem um efeito cascata em como as pessoas experimentam o espaço de trabalho compartilhado .

Conclusão

Todos nós compartilhamos a responsabilidade de fazer com que as pessoas ao nosso redor se sintam bem-vindas, valorizadas e aceitas. 

As políticas para aumentar a diversidade e a inclusão são um bom passo, mas são apenas o começo. 

Portanto, criar um sentimento de pertencimento para os colegas marginalizados é algo que acontece no terreno, nas interações do dia-a-dia. Pertencimento só pode ser criado quando as pessoas em uma organização começam a se sair melhor.

Compartilhe

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pocket
Compartilhar no facebook

DEPOIMENTO EM ÁUDIO👇

Depoimento em Áudio – Click Em Ouvir no Navegador 👇

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Solicite Proposta Sem Compromisso

contato@kitbreak.com

⚠FORMULÁRIO EM MANUTENÇÃO⚠ CLIQUE NO E-MAIL ACIMA OU USE WHATSAPP PARA MANDAR SUA MENSAGEM

Obs.: Entregamos somente no município do Rio de Janeiro.

×

Olá!

Clique na foto da representante abaixo para conversar com ela ou envie um e-mail para contato@kitbreak.com

× <